Revista Higiplus 50

10 HIGIPLUS |4º TRIMESTRE/2018 GESTÃO INVESTIR EM TREINAMENTO E DESENVOLVI- mento é prioridade. Em especial, num momento em que cortar custos, reduzir quadros e fazer “mais com menos” torna-se questão de sobrevivência. Colaboradores qua- lificados tornam-se mais produtivos, mais engajados, sentem-se mais valorizados e elevam o nível de compe- titividade do negócio. Além disso, é a melhor forma de reter talentos, já que nenhum empresário quer ver seus profissionais indo bater na porta da concorrência. A boa notícia é que omercado já entendeu a impor- tância de investir em treinamento. Segundo a pesquisa O Panorama do Treinamento no Brasil (2017/2018), realizada pela Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvi- mento (ABTD), 87% das empresas brasileiras contam com umorçamento anual de Treinamento &Desenvolvimento (T&D). Outro dado positivo é que aumentou em 47% o número de empresas com universidades corporativas, em relação ao ano anterior. Treinar funcionários: amelhor estratégiaparadar um“tchau” paraacrise A pesquisa também comprova um cenário já espe- rado: em tempos de crise, a maior fatia do investimento financeiro e da carga horária de T&D é dedicada aos co- laboradores operacionais (49% e 59%, respectivamente). Isto se explica pela necessidade de melhorar a formação dos profissionais e permitir que sejam capazes de inovar e buscar soluções, o que se reflete nas vendas e lucros. COM ESTRUTURA PRÓPRIA Mas, para colocar em prática a qualificação das equipes, é primordial ter em mente duas questões. A pri- meira é saber diferenciar o que é treinamento (capacitação para que o funcionário desempenhe sua função de forma correta) e o que é desenvolvimento (aprimoramento de conhecimentos e habilidades). A segunda é saber planejar: quais as necessidades do treinamento? O que quero/preci- so melhorar? Para quem esse treinamento é importante? Créditos: Depositphotos © 2009-2018

RkJQdWJsaXNoZXIy Mjk5NzE=